O Anésio Fiscal

Após ficar 3 anos sem quitar seus débitos com o Múnicipio (que queria lhe cobrar ISSQN pela atividade de “reciclador de fio de cobre”, Dente Hugo recebe uma intimação, referente a um processo de execução.

Dirige-se, borrado de medo que seja alguma ação criminal, à Distribuição e Contadoria do Foro de Gravataí, e pede, tremendo, para falar com o tal Fiscal.

O balconista, Nandinho Andarola, depois de lhe fazer um extenso interrogatório (que começou, afetado, com aquela perguntinha cretina:

– Mas qual é o objetivo, meu senhor?), informa-lhe que ali não havia nenhum fiscal, se não o local não seria o Foro, mas a  Secretaria da Fazenda do Estado.

O Dente, a esta altura mais puto da vida que amedrontado, responde, gaguejando aos saltos:

– Não Ganja, é aqui mesmo que me mandaram. Diz que é para falar com o seu Anésio, ele é fiscal por aqui. Olha, meu: tá aqui escrito com todas as letras- e mostra um pedaço de papel que tem na mão.

Nandinho pede para ver o papel e, após lê-lo, desata a rir, como um cavalo emaconhado, enquanto comenta:

– Ô Vítor Hugo, não é Anésio Fiscal, não. Isto aí é o “Anexo Fiscal” e fica no terceiro andar!

Referência

Compartilhar:

Facebook Comentários