DNA do Fiscal de Posturas

 

DNA do Fiscal de Posturas

Por décadas, o mercado de trabalho valorizou profissionais especialistas. Hoje, vemos a valorização do profissional com múltiplas potencialidades.

No setor público não é diferente. A retomada da denominação “fiscal de posturas” por inúmeros municípios –grandes, inclusive- é um indicativo seguro desta preferência pelo profissional com múltiplas potencialidades. Está no DNA do “fiscal de posturas” ser generalista.

Pode-se dizer que há uma tendência, privada e pública, a abandonar as especialidades e buscar um profissional único, com atuação generalista, não menos especializado, mas com competência para atuar em todas as áreas.

Nos municípios com fiscalizações muito especializadas, Secretarias de Defesa do Cidadão e operações “choque de ordem” são exemplos de atuação generalista.

O fiscal de posturas está sempre muito perto do munícipe, é da natureza do seu trabalho esta proximidade com o cidadão. Estando sempre perto, esta atuação generalista facilita o diálogo com o munícipe e, aí, a voz do agente público ecoa a voz do particular. Resta, então, pautar esta convivência pelo princípio da eficiência – a obrigação constitucional de atender com brevidade o interesse público, de forma efetiva e eficaz.

Compartilhar:

Facebook Comentários