Ainda bem que não foi a Fiscalização de Posturas

Ainda bem que não foi a Fiscalização de Posturas

Seria muito decepcionante se a Fiscalização de Posturas de São Paulo /SP estivesse envolvida neste episódio preconceituoso, Leiia:

A poucos dias da Parada de São Paulo se realizar, um totem feito para a campanha “Parada Limpa” – de fiscalização e controle urbano no evento – foi exposto na sede da Prefeitura de São Paulo.

O totem continha a seguinte mensagem:

“Compre seu bilhete de Metrô antecipadamente e evite o uso de fantasias mais “ousadas” nas dependências do Metrô.”

“Avoid to wear “scandalous” costumes at the internal Subway dependences (Evite vestir trajes escandalosos nas dependências internas do Metrô).”

Claro que isso não ia passar batido, e não passou!!!! A Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo declarou que não foi consultada sobre a elaboração dos comunicados. Segundo Ideraldo Beltrame, presidente da entidade: “Esse material pertence à Prefeitura, não à Parada. A gente também faz essa recomendação para andarem em grupos, sempre acompanhados e não facilitarem. Agora, com relação ao uso de roupas ou comportamento das pessoas, a gente não gosta muito de determinar ou tratar com estatutos o que as pessoas devem vestir ou como devem comportar-se. Ao contrário, a gente acha que é a celebração do orgulho de ser gay. Cada um é gay do seu jeito.”

Depois do bafon, a SP Turis e Prefeitura de São Paulo trataram de ir a público para se defenderem do ocorrido, alegando que não foi ordem de nenhuma das duas instituições. Leia a nota:

“Sobre material relativo à Parada do Orgulho LGBT de São Paulo recomendando que os participantes vestissem “roupas discretas”, o presidente da São Paulo Turismo não apenas nega a absurda recomendação, que também não foi solicitada pela Prefeitura de São Paulo, como mandou retirar qualquer material referente a isso.

Pelas informações recebidas, os mesmos seriam colocados nas estações de Metrô, de onde teria surgido o pedido. Num evento que se caracteriza justamente pela liberdade de expressão, exalta a diversidade e o combate à discriminação, cada um deve ir como quiser e se expressar como quiser, dentro dos limites legais. E há seis anos assim vem ocorrendo.
Que esta edição da Parada do Orgulho LGBT, que celebra 15 anos de existência, seja a maior e melhor de todas e que seu ideal siga para além dos limites do próprio evento, celebrando as causas maiores da diversidade e a paz.”

Caio Luiz De Carvalho Presidente da São Paulo Turismo (SPTuris)

Fonte: www.babadoeconfusao.com.br

Comentários

comentários