Um Problema Recorrente: Fogo em Ponto de Coleta

Um Problema Recorrente: Fogo em Ponto de Coleta

Incêndio já consumiu toneladas de lixo e a fumaça tem prejudicado a vida de quem mora na região do Bairro Gonzaga de Campos.

A Cetesb anunciou nesta quarta-feira (13/07/2011), que vai notificar a Prefeitura de São José do Rio Preto, no interior paulista, para aumentar a vigilância do ponto de descarte de entulho da cidade que há quatro dias pega fogo. O incêndio já consumiu toneladas de lixo e a fumaça tem prejudicado a vida de quem mora próximo dali.

No começo da noite de hoje o incêndio no Bairro Gonzaga de Campos foi totalmente controlado. Em nota, a Prefeitura de Rio Preto informou que vai intensificar a fiscalização no local, colocando inclusive um vigia 24 horas. Uma barreira para evitar o acesso de pessoas estranhas ao terreno também deve ser instalada.

De acordo com o gerente da Cetesb, José Benites de Oliveira, é a primeira vez que o órgão é notificado sobre um incêndio no local. Por isso, a Prefeitura ainda não será multada. Mas a área que fica no Bairro Gonzaga de Campos e é de responsabilidade do município já teve outros focos de fogo. No ano passado, um incêndio que durou 31 dias atingiu o terreno. Para evitar que a situação volte a acontecer, principalmente nessa época do ano, em que a umidade do ar é mais baixa que o normal, a Cetesb pretende cobrar providências da Prefeitura.

Desde domingo os bombeiros trabalham sem parar. Máquinas e caminhões pipa também ajudam nas tentativas de conter as chamas. Isso porque o material fica abaixo de uma camada de terra, onde a água não alcança. Há suspeita que o incêndio tenha sido criminoso.

Fonte: http://tn.temmais.com/noticia/9/49407

Entenda como começou:

Um Problema Recorrente: Fogo em Ponto de Coleta

Um incêndio destruiu parte de um terreno utilizado pela Prefeitura como ponto de apoio para depósito de galhos e entulhos, localizado no bairro Gonzaga de Campos, na manhã de ontem, em Rio Preto. O fogo teve início por volta das 9 horas. O Corpo de Bombeiros foi chamado para controlar as chamas. Ninguém ficou ferido. O fogo ficou concentrado em materiais de alta combustão, como serragem, galhos e fragmentos de madeira.

O material que existe no local representa aproximadamente 400 metros de madeira, suficientes para carregar 200 caminhões do modelo basculante. O tenente da Polícia Ambiental de Rio Preto, Alessandro Daleck Moreira, pretende acionar o Ministério Público (MP) para apurar suposta negligência da Prefeitura no armazenamento do material. “Poderá ser instaurado inquérito civil para verificar se houve irregularidades no que se refere à quantidade de material armazenado”.

O tenente explica que o fogo ficou concentrado na parte sob o entulho acumulado. “Por isso houve dificuldade para que ele fosse apagado”. O engenheiro agronômo da Prefeitura, Rodrigo Bega, que acompanhou os trabalhos, não soube determinar as causas do incêndio. “Provavelmente o tempo seco tenha contribuído bastante”. A Secretaria Municipal do Meio Ambiente não soube estimar os prejuízos causados pelo incêndio. “Não havia material de valor financeiro”.

Fonte: http://www.diarioweb.com.br/novoportal/noticias/Cidades/23652

Comentários

comentários