Fiscais são humilhadas

É difícil encontrar um Fiscal de Posturas que não tenha passado por situação semelhante à denunciada por uma consumidora no site www.reclameaqui.com.br

Lidar com situações deste tipo não está em nenhum manual, nenhuma apostila, nenhum treinamento. Fiscais divulguem suas histórias, ainda que sejam constrangedoras. Vamos discutir a relação e extrair um passo a passo de como enfrentar problemas deste tipo.

Minha solidariedade às duas fiscais que estavam cumprindo seu trabalho… coragem, meninas: endurecer sim, perder a ternura jamais. Vergonha alheia… ao gerente da loja da Casas Bahia de Pouso Alegre, MG, que fica na av. Dr. Lisboa, 226, que tem por obrigação de contribuinte impedir situações deste tipo. Quanto aos palhaços, ora, são palhaços.

À transcrição do que foi publicado no reclameaqui

“No último sábado dia 29/09 presenciei uma cena absurda em uma das Lojas das Casas Bahia, na cidade de Pouso Alegre, situada a avenida Dr Lisboa.

Neste dia estava acontecendo um leilão na loja, onde um animador fantasiado de palhaço contratado pela empresa conduzia o evento falando ao microfone e os consumidores ficavam a sua volta para arrematar os bens.

Entrei na loja para pagar uma parcela e percebi a movimentação, ao sair da loja notei que algo estranho estava acontecendo e parei para observar, o palhaço estava ao microfone xingando de forma exagerada duas pessoas que estavam no centro da roda, declarando que o evento iria acabar e a culpa seria dessas pessoas que estavam atrapalhando a ação da loja por questões políticas, achei estranho e resolvi reparar quem eram as pessoas, pois pensei ser algum tipo de cabo eleitoral, porém neste momento notei que se tratava de duas fiscais da prefeitura que provavelmente estavam na loja fazendo o seu trabalho.

O mais interessante é que o palhaço continuou a incitar os demais presentes no sentido de se revoltarem contra as fiscais, provocando vaias, xingamentos dos demais consumidores que acompanhavam o leilão e inclusive citando que tal ato teria cunho político por parte das fiscais, tudo isso acontecendo sob a supervisão de um funcionário das Casas Bahia que estava ao lado do palhaço, que não sei dizer se era gerente ou vendedor.

Acredito que não era necessária tal reação e sinceramente fiquei chocada com as atitudes dos palhaços, pois um recreador deve ser preparado para situações adversas.

Não entendo o que aconteceu para o que o condutor do leilão tivesse uma reação tão absurda e desrespeitosa para com as duas fiscais, por mais que tivesse acontecido algo que na visão da loja não fosse correto em nenhum momento as duas garotas poderiam ter sido expostas a uma situação tão vexatória quanto essas.

Muito me admira uma empresa confiável, comprometida e respeitada no cenário nacional apoiar este tipo de conduta através de seus funcionários.

Não conheço as pessoas envolvidas, porém fiquei constrangida com a situação e para o bem da instituição resolvi levar a conhecimento público, por que certamente a organização não deve corroborar com tais atitudes e sequer tomam conhecimento.

Fato é que se eu estivesse no lugar das pessoas que foram expostas por uma “palhaçada” no sentido literal da palavra certamente entraria com uma ação judicial por danos morais, pois o fato que aconteceu no ultimo sábado é extremamente lamentável.”

Espalhe esta denúncia

http://www.reclameaqui.com.br/3636835/casas-bahia/situacao-absurda-nas-casas-bahia-em-pouso-alegre/

Em tempo, aguardo comunicado das fiscais relatando se houve algum tipo de retratação da parte da Casas Bahia.

Comentários

comentários