Fiscal de Posturas sofre atentado por causa de cargo

 

A polícia não descarta a possibilidade de uma Fiscal de Posturas de Itaboraí, RJ, ter sofrido uma tentativa de homicídio para não assumir o cargo de Secretária Municipal de Urbanismo.

O delegado descreve a vítima como sendo uma fiscal “contestadora”, pouco amigável com as tentativas de cercear o seu trabalho.

Veja a matéria publicada no jornal O Itaboraí:

 Escândalo: disputa por cargo em Itaboraí pode ter motivado atentado

 Um “jogo de interesses” para a garantia de uma vaga à frente Secretaria Municipal de Urbanismo de Itaboraí pode ter sido o motivo da tentativa de homicídio cometido contra uma fiscal de posturas do município, há cerca de cinco meses em Niterói. É o que acredita o delegado adjunto da 76ª DP (Centro – Niterói), Daniel Valença, que está  prestes a elucidar o caso.
Na tarde da última terça-feira e durante todo o dia de ontem, foram chamados à delegacia de Itaboraí para prestar esclarecimentos, o atual secretário de Ambiente e Urbanismo de Itaboraí, Reinaldo Ferreira; o ex-secretário da mesma pasta, Adelmo Santos – que está afastado por motivos políticos; o secretário de Obras e Urbanismo, Sergio Roberto Schiavini Soares, que é filho do prefeito e conhecido como Serginho Soares; a ex-secretária de Fazenda, Theresinha Bastos, e um empresário da região que estaria patrocinando a campanha política da atual gestão e que teria relações com o prefeito da cidade.
De acordo com as investigações dos agentes de Niterói, onde aconteceu o crime, os coligados de Sergio Soares teriam interesse de disputar uma vaga na pasta de Urbanismo. Ainda assim, o delegado titular da distrital do Centro de Niterói, Alexandre Leite, declarou por telefone, que a polícia não descartará nenhuma das diversas linhas de investigação e hipóteses sobre o caso. Embora o caso seja da distrital de Niterói, as testemunhas e os envolvidos estão sendo ouvidos na delegacia de Itaboraí.
A tentativa de homicídio aconteceu na manhã do dia 23 de maio, no Ingá, por volta das 8h30, quando a fiscal de posturas Germana Cristina Carvalho voltava do Hospital do Câncer com a mãe e, ao descer do taxi, foi abordada por dois homens que estavam em uma moto. Um deles se aproximou e encostou um revólver na nuca da vítima, que surpreendida, acabou virando o pescoço. O disparo por pouco não atingiu a veia cervical. Já caída no chão, o criminoso ainda efetuou mais dois disparos, tendo um deles atingido a boca e outro o esôfago. A mãe da vítima, uma idosa doente assistiu toda a cena.
“Ela sobreviveu, nasceu de novo. Vamos até o final para descobrir quem são os responsáveis pela emboscada. Nossa principal linha de investigação é a relação de trabalho, visto que ela era considerada ‘durona’, bastante séria e que rejeitava qualquer pedido amigável que a impedisse de cumprir com os seus deveres. A vítima era vista como contestadora – atitude que certamente incomodava a muitos”, contou o delegado Daniel Vasconcelos, que esteve em Itaboraí e está à frente do caso.
Segundo ele, a fiscal teria sido convidada pelo vice-prefeito da cidade, Rafael Vitorino, que é hoje também candidato a vereador para ocupar a pasta. Mas, o interesse coletivo de coligados do prefeito pela Secretaria de Urbanismo devido ao crescimento da cidade relacionado ao Comperj, teria motivado o crime – adiando a mudança.

 

Comentários

comentários