Luis Barnabé e a Primavera Brasileira da Fiscalização Municipal

Sem título

Texto enviado por Luis Barnabé (1):

Sempre me  declarei  um entusiasta da internet. Há uns poucos anos, a partir de uma  pesquisa  para  citar corretamente  uma  frase  que tinha  ouvido  num documentário,  descobri  coisas que mudaram completamente e continuam  mudando  a  minha vida.  Para os  que  ousarem trilhar  o  mesmo  caminho  a frase é “Turn on, tune in, drop out”(não  citarei  seu  autor propositalmente).

No  último  dia  25  ocorreu  um momento histórico: a audiência pública na Câmara Municipal de São  Paulo  contou  com  a significativa participação de Iris Tomaelo (São José do Rio Preto), Isabel Santos (Goiânia), Eduardo Jorge (Brasília)  e  Marcelo Faria (Brasília).

As exposições do Marcelo e do Eduardo  demonstraram  que uma  fiscalização  eficiente  e valorizada é possível. Assim é a fiscalização do Distrito Federal, de Goiânia e de São José do Rio Preto.  Também deixaram claro que  as  batalhas  foram sangrentas,  que  nada  caiu  do céu. Uma injeção cavalar de ânimo. De  outra  forma  não  pode  ser definida  a  influência  desse evento  sobre  os  agentes vistores da cidade de São Paulo presentes.

E  o  que  tem a  internet  a  ver com isso ? Tudo.  A  troca  de  experiências entre  os  profissionais  da fiscalização de todo o país tem se  dado(dentre  outros)principalmente  através  do  site “Fiscal de Posturas”. Por  conta  do  site  é  que  a Claret (presidente  do  sindicato dos  agentes  vistores  do município de São Paulo-SAVIM) foi  a  Brasília  para  conhecer  a fiscalização e preparar a vinda do Marcelo e do Eduardo para a audiência  pública  ocorrida  na Câmara Municipal de São Paulo.

O  Congresso  dos  profissionais da fiscalização que ocorrerá em Brasília  em setembro, sob a coordenação do Marcelo Faria e do Eduardo Jorge,  será  um marco  na  história  da Fiscalização Municipal no Brasil. Sugiro  que  o  chamemos  de Primavera Brasileira.

O estrago  feito  pela  internet nas  pretensões  dos  governos que desejam a manutenção da precariedade  dos  órgãos  de fiscalização  de  posturas  das cidades  brasileiras  é irreversível.

Há entre  nós  aqueles  que fazem  política  somente  pelo Facebook. Os  que  não  usam  apenas  a internet  para  fazer  política podem ver o brilho no olhar e sentir o calor do abraço da Iris e de  outras  pessoas  fantásticas como ela. E por trocarem calor com seres reais não sucumbem ao frio.

Que  em  setembro  a  ternura seja  o  oxigênio  da  Primavera Brasileira em Brasília.”

(1) Luis Roberto Martins Barnabé é advogado, Agente Vistor no Município de São Paulo e Supervisor de Fiscalização da Subprefeitura de Sapopemba.

Aqui o registro de Luis Barnabé durante a Audiência Pública “Qual fiscalização você quer para a Cidade de São Paulo”, realizada no dia 25 de abril de 2014, pelo SAVIM, sob o comando da Claret Fortunato, e pela Câmara Legislativa:

 

Comentários

comentários