“… autoridade que toma a decisão na cidade é o prefeito e ele está acima do secretário e acima do fiscal”

Toma tento! Olha o estado da kombosa da Fiscalização!!!
Toma tento! Olha o estado da kombosa da Fiscalização!!!

Em São Carlos, mais uma situação esquisita (ilegal, sem ética, desrespeitosa) da “otoridade” de plantão. Vai lendo!!!

Fiscais

E amanhã os fiscais da Prefeitura irão se reunir com sindicalistas. Eles estão se sentido rebaixados e desprestigiados por causa das falas do prefeito Paulo Altomani no caso do bar da Rua Larga. Para quem não se lembra, os fiscais fecharam o estabelecimento comercial por causa do alvará vencido e o prefeito mandou reabrir.

Fiscais 2

As informações dos bastidores apontam para uma manifestação (pacífica) dos fiscais contra o alcaide.”

Fonte: http://www.jornalpp.com.br/torpedos/item/65080-torpedos-13-07-2014


Para entender:

O prefeito Paulo Altomani falou na manhã desta quinta, 10, para a Intersom FM sobre a polêmica da abertura de um bar na avenida Dr. Teixeira de Barros, a Rua Larga. O caso tem despertado polêmica em São Carlos. A reportagem da emissora da Vila Nery ouviu tanto a secretaria de comunicação do município, bem como o próprio chefe do executivo.

Em nota a secretaria de comunicação disse que “em relação à autorização de funcionamento do comércio varejista de bebidas o proprietário do estabelecimento possuía o alvará de funcionamento do Corpo de Bombeiros, mas que o que estava vencida era a licença da Vigilância Sanitária, cuja renovação havia sido solicitada on-line, já que no horário pedido a Prefeitura e suas secretarias estavam fechadas devido ao jogo da Seleção (no dia do requerimento). O proprietário procurou o prefeito Paulo Altomani que ainda estava em seu gabinete naquele dia e que o mesmo analisou que a situação não justificaria o fechamento do estabelecimento e autorizou o funcionamento. A licença da Vigilância Sanitária foi renovada na última segunda-feira (7) e o estabelecimento voltou a funcionar normalmente”.

Falando a Intersom, Altomani confirmou que autorizou a abertura do bar, pois seus fiscais estiveram na Larga na última sexta, junto com a PM para autuar e fechar o estabelecimento. Segundo Altomani, os fiscais da Secretaria de Habitação estiveram no local 15 dias antes e haviam confirmado que tudo funcionava a contento. Segundo Altomani, os proprietários já tinham protocolado pedido para regularização da situação do bar junto da Vigilância Sanitária. “Eles me procuraram na sexta-feira e apenas eu estava trabalhando na Prefeitura, por isso tenho orientado os fiscais para que tomem a atitude educativa e mediante o protocolo que se tinha em mãos eu tomei a iniciativa de autorizar (o bar) a funcionar até segunda-feira para que se regularize a situação junto a Vigilância Sanitária. Acho que temos que orientar e não punir”, disse.

O prefeito afirmou textualmente que neste caso não ocorreu nenhuma irregularidade e nenhuma ultrapassagem sua sobre a lei. Questionado pelo repórter da Intersom, Thiago Caporasso sobre a elaboração de um boletim de ocorrência sobre o assunto, Altomani disparou: “Não estou preocupado se foi elaborado ou não, se foi, a Polícia Civil taí e a minha resposta é essa para eles também, porque a autoridade que toma a decisão na cidade é o prefeito e ele está acima do secretário e acima do fiscal”.”

Fonte: http://www.saocarlosemrede.com.br/noticias/item/27528-altomani-fala-sobre-pol%C3%AAmica-de-fechamento-de-bar-na-rua-larga


E ainda deu autorização por escrito (manuscrita)… MP cadê você???

http://www.dbc.fm.br/noticia/cidade/2014/07/06/15643/prefeito-paulo-altomani-manda-que-bar-fechado-por-irregularidade-seja-reaberto-na-rua-larga


Nas últimas colunas relatamos situações que têm desmoralizado a equipe de fiscalização da Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano. Há semanas, um bar foi autuado pela fiscalização e o secretário Júlio Soldado permitiu a reabertura, talvez porque o dono do comércio seria “amigo do rei”. Nesta semana, o personagem é nada mais nada menos que o prefeito Paulo Altomani.

Remorso

Sem remorso, o prefeito admitiu que escreveu uma carta de próprio punho autorizando a reabertura de um comércio de bebidas da rua Larga, estabelecimento que horas antes foi fechado por falta de alvará da Vigilância Sanitária.

Justificativas

O prefeito justificou: disse que o comércio providenciava o alvará e que a situação perante os bombeiros estava regularizada. Também deu uma lição: disse que os fiscais precisam agir de forma educativa e não punitiva.

Otoridade

Para completar o discurso, o prefeito Paulo Altomani foi questionado pelo repórter Thiago Caporasso sobre as consequências do ato, que inclusive teria sido objeto de um Boletim de Ocorrência e tascou: “Não estou preocupado se foi elaborado ou não [no caso, o BO], se foi, a Polícia Civil taí e a minha resposta é essa para eles também, porque a autoridade que toma a decisão na cidade é o prefeito e ele está acima do secretário e acima do fiscal”.

E agora, José?

Agora, nós perguntamos: com que moral o setor de fiscalização da Prefeitura vai a um estabelecimento fazer a autuação se correm o risco de terem as ordens desfeitas pelo “chefe-mor”? Outra pergunta: mas as leis que regem esse país não são superiores a qualquer pessoa que esteja no poder, inclusive o prefeito?

Recordar

Vale lembrar que em 2013, o prefeito disse à Rádio Intersom que na habitação existiam funcionários que criavam dificuldades para vender facilidades. Essa declaração gerou processo por assédio moral. Será que estamos prestes a viver outro processo de assédio moral…?”

Fonte: http://www.saocarlosdiaenoite.com.br/lmno/acidas-da-politica/item/39739-%C3%A1cidas-da-pol%C3%ADtica-a-gente-bem-que-avisou

Comentários

comentários