E que nenhuma dificuldade roube a nossa fé!

Fiscais de Belo Horizonte estão dando um exemplo magnífico de como se unir em torno das ações cruciais para a categoria e na composição das ações que beneficiam indistintamente todos os servidores, não permitindo que as diferenças impeçam a união. 
Há muito tempo estão articulados em torno da questão do nível de escolaridade  superior para os ocupantes dos cargos de Fiscal Integrado (denominação que sobreveio a de Fiscal de Posturas). Agora há uma nova oportunidade, o Projeto de Lei 1183/2014. 
O PL 1183/2014 tem 4 artigos. O primeiro artigo muda o nome dos Fiscais Integrados, reconhecendo-lhes a atividade de Auditoria (que todos os Fiscais de Posturas têm). O segundo artigo cria a carreira de Auditor Fiscal Municipal de Atividades Urbanas e Ambientais. O terceiro artigo exige nível superior para os próximos Fiscais (os atuais estão dispensados desta exigência)
PL 1183 - 2ª parte

No dia 27/08/2014, os Fiscais de Belo Horizonte conseguiram uma importante vitória, o PL 1183/2014 foi aprovado na Terceira Comissão em Reunião Extraordinária. 

Fiscais de Belo Horizonte comemorando a vitória
Fiscais de Belo Horizonte comemorando a vitória
Pra justificar a foto aí de cima, transcrevo o depoimento do Plinio Marcos quase uma prestação de contas:


Terça-feira, dia 26 de agosto.
Estávamos na Câmara para apoiar a pressão pela aprovação do PL 1256/14 (reajuste salarial) e ainda acompanhar e viabilizar a votação do PL 1183/14 (mudança de escolaridade) na Comissão de orçamento e finanças. Como a sessão anterior da CMBH havia se encerrado às 3:30 da madrugada, a sessão da manhã foi cancelada e ao meio dia não havia vereadores na casa!
Almoçamos juntos no restaurante da CMBH, e recebemos a notícia que não haveria quórum para a realização da Comissão, já que os vereadores só chegariam para a sessão das 15:00.
Começamos aí nosso trabalho de convencimento e articulação.
Fomos para o gabinete do G. e conversamos longamente com o T.. O projeto estava em suas mãos, mas o relatório não estava pronto, só saímos de lá ao termos certeza e o compromisso que o relatório seria apresentado no dia seguinte, com um pedido para que G. tentasse uma reunião “ad referendum”, sem ter a necessidade de aguardar a próxima terça.
Partimos para o gabinete do L.. Fomos recebidos por R.. Onde também após uma longa e elucidadora conversa, uma verdadeira aula de rituais e trâmites legislativos, saímos quase noite com o compromisso de empenho nos contatos, por parte do vereador e boas informações de como caminhar a partir dali. Já que a casa vivia um impasse entre oposição e governistas, e tínhamos que ter cuidado para não cairmos em armadilhas políticas.
Ainda fizemos uma reunião entre nós, para avaliação do dia e dos contatos feitos e quais seriam os próximos passos a serem dados! Voltamos para o plenário para apenas confirmar que o impasse continuava e nada seria votado!
Ficou a dúvida sobre qual seria o desfecho ou sobre quando seria este desfecho, mas a certeza que estávamos dando todo nosso gás, fazendo o melhor possível! E nada como um dia após o outro…
Quarta-feira, dia 27 de agosto.
Nada como um dia após o outro! Um dia para desatar os nós!
Após um dia cheio, recebemos a informação que houve um acordo (ou trégua) entre oposição e governistas e que iriam votar os projetos travados, incluso o 1256 (reajuste). Parte da diretoria vai para Câmara, para garantir a votação no plenária da tarde. Fico para a assembleia dos fiscais integrados celetistas.
16:30, elaboração do documento a ser enviado para a SLU e ainda recebo os agentes fazendários, que querem conversar sobre o 1183, e a situação da emenda deles ao 1099/14 (também mudança de escolaridade).
A Diretoria chega às 18:30, estou aguardando o I., pois ele havia recebido a informação que poderia haver uma reunião extraordinária da Comissão de orçamento, e que o 1183 não estava na pauta. W. liga e confirma: haverá reunião extraordinária e o 1183 NÃO está pautado!
Temos que agir rápido, são 19:05, ligamos para o G. e ele confirma também: o relatório já havia sido protocolado, reunião extraordinária 19:30, sem o 1183 estar pautado!
Decisão rápida: vou para a câmara! Solicitar pessoalmente a inclusão do projeto na pauta!
Sem dinheiro, motoristas já foram embora, tesouraria fechada, bora pegar Táxi que aceite cartão (I. me passa todo dinheiro que tem na carteira). Ligo pro W., que diz: estou indo pra lá também, nos encontramos lá! Taxista vai voando baixo e chegamos lá em menos de 10 minutos.
19:20 estou no gabinete do G.. Mais uma conversa sobre a importância do PL para os Fiscais. Tudo certo. Vamos tentar o ad referendum. Ele liga para o A., garantindo o quórum.
Desço para o plenário Camil Caram junto com G.. Começa a sessão, o A., diz que tem um outro compromisso importante e precisa ir embora. O G. conversa com ele e solicita ao presidente a apresentação do 1183, ad referendum.
É preciso 3 titulares para aprovar e só temos os 3 presentes. O A. diz que pode ficar e é aceito o ad referendum. O G. me apresenta e diz que é uma solicitação do Sindibel, que estou representando. Faço uma fala explicando a importância do projeto para os fiscais.
O S. diz que me conhece e que recebeu uma comitiva dos fiscais na quinta passada, e que já conhecia o projeto. O celular do S. toca e ele atende. É o L.. Ele desliga e diz que o L. pediu o apoio na aprovação do PL 1183. W. chega e senta ao meu lado. Acontece a votação. O S. se abstém e os outros dois votam com o relatório que é pela aprovação!!!
UFA! Suado, cansado, com fome, ainda ansioso, mas me sentindo vitorioso e orgulhoso, pelo grande trabalho de equipe que resultou nessa aprovação! Agora é avaliar o momento político e aguardar a ida do PL para o plenário. São mais de 20 h, perdi minha aula da pós! Só me resta pegar o busão e ir pra casa!!!

Após dias de intensa negociação nos Gabinetes, Fiscais em festa pela vitória, expressam o sentimento que os une:
Essa aprovação tem muito suor, correria, articulação política, saliva, telefonemas e muitas histórias!!!
Certeza na vida só que um dia ela finda! Estamos trabalhando com várias hipóteses, sanção, veto, derrubada de veto ou não! (…) Graças a Deus faço parte de uma categoria que sempre tem por que lutar, que sempre acredita que pode mais, que a sua realidade pode ser melhor! Estou nessa luta há 18 anos! E continuarei enquanto por aqui estiver! Existem categorias estagnadas, que nem sonhar podem… E a fiscalização pode sonhar com dias melhores! E nosso sonho é tão real! Palpável! Estamos lidando com uma possibilidade concreta! O Sindibel vem junto com a Fiscalização nessa discussão de mudança de escolaridade desde 2007. Fácil nunca será! Mas se existe uma chance que seja, estaremos lutando por ela!
Parabéns (dirigido aos Fiscais que lideraram as negociações) pelo poder de articulação, pelo empenho e pela determinação! Esta é a fiscalização da qual quero fazer parte; esta me orgulha de fato, obrigado!

Sei que ainda vou escrever muito sobre os Fiscais de Belo Horizonte.
Que se tire desta amostrinha da sua união uma lição maior para todos nós, Fiscais de Posturas esparramados pelo país, no resumo de Plinio Marcos E que nenhuma dificuldade roube a nossa fé!
E que a fé continue com todos os Fiscais de Belo Horizonte, em especial com  Plinio Marcos  Alessandro Marota Ayrton Alves Júnior Flávia Passos Israel Arimar Ildeu Andrade Kelly Maltez Rovena Nacif Martins Weber Oliveira

Comentários

comentários