Venâncio Aires, RS: Fiscais Ambientais investigam e punem corte de árvores nativas

As pessoas precisam ter consciência que atitudes desse tipo (corte de árvores nativas) não causam impactos apenas locais, pois afetam a flora a fauna e inclusive os seres humanos” –  Carin Gomes
2013 - Carin Gomes, Fiscal Ambiental, e Daiana Nervo, assessora de imprensa,  divulgando a campanha "Venâncio cresce mais limpa"
Carin Gomes, Fiscal Ambiental, e Daiana Nervo, assessora de imprensa, divulgando a campanha “Venâncio cresce mais limpa” em 2013

Veja a notícia na íntegra:

A fiscalização da Secretaria Municipal do Meio Ambiente flagrou nos últimos sete dias o corte sem autorização de diversas árvores nativas de oito espécies diferentes. Os cortes irregulares foram praticados em propriedades do interior do município, nas localidades de Linha Herval, 17 de Junho, Harmonia da Costa, Estância São José e Marechal Floriano Baixo. Os locais foram identificados a partir de denúncias e apurações feitas pelos próprios fiscais da Secretaria.

10/9/14 - Venâncio Aires, RS, flagra de corte de árvores nativas

O caso mais grave ocorreu em uma propriedade em Linha Herval. No local, houve o corte irregular de mais de 30 coqueiros Jerivá. Conforme a bióloga Daiane Haas, nas demais propriedades houve a derrubada ilegal das espécies Açoita-Cavalo, Timbaúva, Chal Chal, Pindaíba, Guabiroba, Camboatá Branco e Aroeira Vermelha. Todos os proprietários das áreas onde as árvores estavam terão de pagar multas conforme a quantidade de cortes feitos e suas espécies. Os mesmos ainda terão de recuperar as áreas degradadas e apresentar relatório anual do plantio.

A fiscal Carin Gomes ressalta que uma das principais preocupações da Secretaria é o impacto ambiental causado pelos cortes. Em pelo menos dois casos, a fiscalização constatou que a derrubada das árvores destruiu o habitat natural de cobras e afetou o habitat de aves e outros animais. ‘As pessoas precisam ter consciência que atitudes desse tipo não causam impactos apenas locais, pois afetam a flora a fauna e inclusive os seres humanos’, avalia a fiscal.

O secretário João Stahl avalia que os danos ambientais constatados nos últimos dias ocorreram ‘pois as pessoas não buscaram previamente qualquer orientação sobre o manejo ambiental adequado’. Stahl enfatiza que, além de processo administrativo em âmbito municipal, os infratores em casos desta natureza respondem por crime ambiental. ‘A política ambiental em níveis federal, estadual e municipal possibilita, em casos específicos, à supressão de vegetação, mas é preciso consulta prévia e obtenção da Licença Ambiental dentro das condições impostas pelo órgão fiscalizador’, declara.”

Fonte:Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Venâncio Aires

Comentários

comentários