Fundição – adequações ambientais na produção de lingotes de metal não ferroso

Grandes empresas possuem disponíveis para a Fiscalização: lay-out, fluxograma de produção, memoriais descritivos, plantas, gestor ambiental (muitas vezes). A vistoria fiscal é mais de conferência, quase não há adequações a realizar. É mais acertar a situação com o que está descrito na legislação.

Nas pequenas empresas, a vistoria é sempre uma surpresa. A situação econômica do empreendimento ainda é instável. Adequações ambientais representam ônus dificílimo de suportar. É para estas empresas que trago este empreendimento simples, organizado. São ideias de fácil aplicação.

Para as Fiscalizações melhor estruturadas, nada disto é novidade.

Para quem está começando na Fiscalização, as fotos estão na sequência em que deve ocorrer a ação fiscal: entradas (matéria prima e insumos) – armazenagem; processo de produção – produtos – armazenagem; geração de resíduos – armazenagem; tratamento de resíduos e descarte. É claro que tem muito mais (documentos, análises, etc.), aqui é só uma experiência boa numa vistoria que estava fácil.

01/12/2014 – Vistoria em microempresa de fundição

Fundição 01/12/2014
l Óxido de zinco nas “paredes” do compartimento do forno (cadinho)

Processo: lingotamento de sucata de metal não ferroso. Custo estimado pelo proprietário: R$ 30 mil.

A empresa recebe material a ser processado e devolve em lingotes.

Fundição - 01/12/2014
Cavaco e pó de lixamento. Local com inclinação para o centro. Solo impermeabilizado. Com cobertura.
Fundição 01/12/2014
Liga – antimônio – zinco
Fundição 01/12/2014
Pesagem de bag: compra/recebe sucata, separa alumínio
Fundição 01/12/2014
Armazenagem de bórax decahidratado (fundente)
Fundição 01/12/2014
Óleo AG-3 – para queima de forno
Fundição 01/12/2014
Bancada de corte (esmerilhadeira) – separação de sucata
Fundição 01/12/2014
Exaustor (era de uma cabine de pintura antiga) usado para secagem de lingotes. EPIs com resistência a 300º
Fundição 01/12/2014
Moldes para lingotes (sem demoldantes)
Fundição 01/12/2014
Compartimento com “tampa/porta”: forno/cadinho Compartimento aberto: alimentação do forno
Fundição 01/12/2014
Compartimento aberto – entrada de ar e óleo no forno
Fundição 01/12/2014
Detalhe: entrada de óleo para o forno
Fundição 01/12/2014
Inferior: alimentação do maçarico
Fundição 01/12/2014
Fechamento do forno com acionamento manual Acima dos fornos, tubulação de captação de material particulado e substâncias odoríferas
Fundição 01/12/2014
Instrumentos para movimentação dentro dos fornos
Fundição 01/12/2014
Tanque de armazenagem de óleo AG-3 (a granel), com contenção – falta cobertura para impedir a contribuição de águas pluviais
Fundição 01/12/2014
Tubulação aérea para direcionamento até sistema de filtragem de pós e cheiro, no jargão: material particulado e substâncias odoríferas lançadas na atmosfera

 

Fundição 01/12/2014
1ª etapa conclusa: 55 filtros de manga instalados, com depósito inferior do óxido de zinco. Já realizada cobertura. Falta o fechamento das laterais
Fundição 01/12/2014
2ª etapa: a concluir, instalação de mais 55 filtros de manga e outro depósito (que está sendo montado no local)
Fundição 01/12/2014
No chão, telhas, coifas e depósito esperando para ser instalados
Fundição 01/12/2014
Para evitar reverberação (que “explode” como som percorrendo a estrutura dos imóveis vizinhos), garantindo o conforto da população circunvizinha, foram instalados sob o equipamento vibra stop e mantas de borracha
Fundição 01/12/2014
“- Dona, é melhor a gente ficar longe, quando abrir. Acho que isto aí já tá cheio!” Todos se afastam uns 10 metros. “- Fulano, abre aí a porta.” “- Devag… correeeeeeee!” Num segundo, o mundo fica grafite e toda a gente corre com a mão na boca, inclusive, a “Dona” aqui.
Fundição 01/12/2014
Óxido de zinco no ar, em suspensão!

Veja o vídeo correspondente às fotos em: https://www.youtube.com/watch?v=989BAhkFPHs&feature=youtu.be

Fundição 01/12/2014

Compartilhar:

Facebook Comentários