Praia Grande, SP: indo além da fiscalização

23/1/15 - sobre Praia Grande: imagem ilustrativa sobre descarte de embalagens de óleo automotivo

Não sei se é certo a Prefeitura assumir o custo da coleta e destinação das embalagens de óleo automotivo, mas que é uma mão na roda para reduzir riscos ambientais, ah, é certeza!

Na íntegra a notícia:

Praia Grande intensifica fiscalização sobre destinação de óleo automotivo Cidade arrecada e encaminha cerca de 12.700 embalagens mensalmente. Meta da prefeitura é pelo menos dobrar esse número.

A Secretaria de Meio Ambiente (Sema) de Praia Grande, no litoral de São Paulo, vai intensificar a fiscalização sobre a destinação de embalagens de óleo automotivo no município. Atualmente, a prefeitura arrecada e encaminha para reciclagem aproximadamente 12.700 embalagens de óleo lubrificante mensalemente. A meta é pelo menos dobrar esse número.

A ação é realizada por meio do programa ‘Jogue Limpo’, uma parceria com o governo estadual, em que a coleta deste tipo de embalagem livra o meio ambiente de um material extremamente poluente. Por isso, as embalagens de óleo lubrificante são classificadas como resíduos perigosos (classe I), exigindo atenção e cuidado no descarte.

Todas as embalagens coletadas são levadas para as Centrais de Recebimento, onde o material é prensado, armazenado e, posteriormente, remetido a uma recicladora, onde o material é triturado. Após ser submetido a um processo de descontaminação do óleo lubrificante residual, passa por extrusão para ser transformado em matéria-prima de novas embalagens e outros produtos plásticos, retornando à cadeia de produção. Esse ciclo evita o desperdício de um material plástico derivado do petróleo e que se fosse jogado na natureza teria um período de degradação na faixa de 400 anos.

Fonte: Centralizado.com.br

Comentários

comentários