O que acham deste trecho?

O mais iguaisNão sei quando publicarei (ou se publicarei), mas estou estou escrevendo um livro, com textos inéditos e com textos compilados que já publiquei.

Me digam, o que acham deste trecho?

MAIS IGUAIS”

Por quê? Por que o contribuinte tem 30 dias para recorrer, contestar e a Fazenda Pública, o Ministério Público e a Defensoria têm prazo em dobro?

Resposta da mens legis: superar a dificuldade de obter informações em face da complexidade do órgão público.

Resposta sincera: somos desorganizados, cheios de ritualidades!

Empresas privadas são organismos vivos, em constante mutação, reagindo e interagindo com o seus públicos interno e externo. À gestão privada tudo que não é vedado na lei é permitido. Ideias novas são bem vindas, testadas, refutadas, aprovadas e praticadas com celeridade. Há oxigenação.

Administrações Públicas são engessadas e sempre serão. A gestão pública conforma-se à lei, age dentro do espaço que a lei lhe confere, e a lei já retrata um mundo morto, ainda que deva viger para o futuro. A lei fossiliza um retrato instantâneo do dever-ser. E é com escopo na lei que a estrutura e os manuais que regem a gestão pública são elaborados.

Fossilizada e engessada, a Administração Pública padece ainda de um mal maior, o encastelamento dos mais iguais do que os outros. São servidores, concursados ou comissionados, que, entra gestor, sai gestor, perpetuam-se em posições-chave, formam feudos, até que alguns bem moderninhos, bem equipados tecnologicamente.

Desafio qualquer servidor a dizer que não sabe da existência de feudos na própria Administração.

Tente aprovar um projeto de um grande empreendimento e tente “vender” a ideia de um projeto de Fiscalização moderno. As mesmas dificuldades que o empresário encontra, aflito, vendo seu processo andar de mesa em mesa, de setor em setor, de feudo em feudo, são compartilhadas pelos servidores que buscam apoio para modernizar a Administração.

O feudo é avesso à celeridade e à profissionalização da gestão pública ou, o que é pior, se já profissionalizado, usa e abusa das posições-chave para impedir que outros setores busquem a profissionalização.

Falta um tupiniquim “switch in time that saved nine”! Falta oxigênio na Administração Pública! Faltam determinação e coragem ao gestor público para enfrentar os feudos!

LIMPE! Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência são os princípios constitucionais que devem nortear o gestor público na tomada de decisão e no exame de consciência para identificar seus feudos.

Então, Gestor público, LIMPE!”

Iris Tomaelo

Comentários

comentários