Conecte-se conosco

Matérias

Agressão contra Fiscal – a história que se repete

Publicado

em

rua Miguel Dropa, Ponta Grossa, PR

Imagem captada em 2012 pelo Google Street sem o entulho do ferro velho atualmente no local

8h 30m, dia 24/11/2017, rua Miguel Dropa, Parque Tarobá, em Ponta Grossa, PR

No Paraná, existe o Batalhão da Polícia Ambiental – Força Verde, cujo site traz três canais para denúncia (Ouvidoria, e-mail: [email protected] e Disque Denúncia: 181), a fim de combater os crimes contra o meio ambiente.

Pois bem, na data acima, a Polícia Ambiental recebe denúncia de queimada e comparece no Ferro Velho. No local, constata que, além da queima de lixo, os materiais estão dispostos sem cobertura e sobre solo não impermeabilizado… “entulhos, madeira, tambor de combustíveis, ferro, material eletrônico, telhas de amianto, causando assim a poluição do solo e subsolo”.

Identificado o proprietário, ele foi “orientado e advertido verbalmente para que não dê continuidade na degradação ambiental, e ainda, que providencie as autorizações ambientais pertinentes junto ao órgão ambiental competente para o funcionamento do referido empreendimento.

A providência adotada pela Polícia Ambiental, além da conversa com o infrator, foi encaminhar “cópia da documentação a Delegacia de Polícia Civil de Ponta Grossa e ao IAP, para as providências na esfera criminal e administrativa”(fonte: agora1).

Imagem da Força Verde, durante diligência em ferro velho denunciado na rua Miguel Dropa

15h 30m, dia 22/01/2018, rua Miguel Dropa, Parque Tarobá, em Ponta Grossa, PR

A Secretaria do Meio Ambiente recebe novamente uma denúncia de queimada irregular em ferro velho localizado na rua Miguel Dropa.

A fim de verificar a denúncia, duas Fiscais vão ao local com a viatura da Prefeitura. Chamam pelo proprietário e, antes de realizarem a abordagem, são agredidas verbalmente e, em seguida, o denunciado ataca a pedradas a viatura. As Fiscais se refugiam numa chácara vizinha e ligam para a Secretaria do Meio Ambiente, que pede o auxílio da Polícia Militar e da Guarda Municipal para conter o tumulto. O proprietário foge.

  

A mesma notícia é repetida em diversos sites: Prefeitura de Ponta GrossaG1, Jornal da manhã, blog doc.com, Diário dos Campos, CGN, A Rede, Paraná Portal. Alguns destacam a fala do diretor de Licenciamento Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, André Pitela:  “O trabalho da fiscalização é de contato direto com os proprietários e moradores de cada imóvel e nem sempre a notificação é bem recebida, mas nunca nos deparamos com uma situação como essa, onde se fez necessário contatar as forças policiais para garantir a segurança das nossas fiscais. É  importante que a população tenha em mente que é função da Prefeitura fiscalizar se a legislação vem sendo cumprida, ainda mais quando recebemos denúncias”.

Aqui, eu parei! O que eu vi…

Eu vi o aparato militar, preparado para confronto e com autoridade para tirar a liberdade de um infrator, ficar de mãos atadas… sem multa, sem apreensão e “orientando”. Errou a Força Verde e errou feio… atendeu a ocorrência, foi no local do denunciado e nenhuma multa??? Até quando vai ser tão fácil empurrar pra Fiscalização municipal o que já é crime?

E aí, patrão das meninas da Fiscalização? Como é mesmo isso de atender denúncia no mesmo local e do mesmo proprietário várias vezes, assim, na raça, no pelo… sem o apoio durante a abordagem da Guarda Municipal/Polícia Militar? Até quando a Administração vai achar que porque é Fiscal tem que ir de peito aberto já que é dever de ofício?

Aposto que tá todo mundo tenso com o vídeo viral do “coitadinho” do denunciado, que, sabidamente, fez ele mesmo uma filmagem do seu particular dia de fúria. Eiiiiiii, acorda!!! Foi providencial demais ele acertar pedrada com uma mão e com a outra se filmar… é um ninja, melhor que a PM e que a chefaiada das Fiscais.

E, pra encerrar, que tô das mais indignadas, meu apoio às Fiscais, meu pesar à PM (que se tivesse feito o que deveria fazer já teria evitado que duas mulheres fossem tão vilmente atacadas) e meu repúdio à Administração, que no afã de cuidar de tantas áreas descuida da sua mão mais longa: os Fiscais.

Para todos, a lembrança de Sandra Lopes, assassinada em serviço.

Fiquem com o vídeo viral:

Compartilhar:

Por opção, desde 2011, na Fiscalização de Posturas do Meio Ambiente e Urbanismo.Um ano na Fiscalização de Posturas de Serviços Gerais.Seis anos na Fiscalização de Posturas da Fazenda (Atividades Econômicas).Quase dezesseis anos na Fiscalização Tributária (ISS, IVC, Inter Vivos e taxas).Bacharel em Administração e Direito. Pós graduada em Gestão Ambiental.Fiscal de Posturas na Prefeitura de São José do Rio Preto/SP.Denominação do cargo atual: Agente Fiscal de Posturas, sinonímia Fiscal de Atividades UrbanasCoordenadora de departamento por oito anos, sendo dois anos na chefia de fiscalização.Aposentada em 2018, permanece apoiando as iniciativas de visibilidade nacional para os Fiscais Municipais.

Em Alta